Recent Posts

domingo, 22 de novembro de 2009


O MOMENTO

O passado
É uma roupa velha que deixei pelo caminho
Que não me serve mais
Trago comigo
A alegria
A tristeza
O ensinamento do ato de despir-me
Jamais a possibilidade de vivenciar novamente
Com a mesma intensidade
Pagina virada do tempo emocional
Guardo na memória
Ontem fragilidade
Hoje fortaleza do meu ser refeito
Pois o novo sempre vem
Não tenho mais o tempo que passou
Tenho o presente
Tempo
É supremo me dispor
Ao amor que vem
Sem egoísmo
Apenas pelo amor
Com doação
Comprometendo-me
Pois o amor não reconhece nenhum medo
Entrega-se puramente
No esquecimento total
Rendição
É a vida que segue seu curso

CONCEIÇÃO PEARCE

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

RESPLANDECER

Momentos de amor
Que unem sentimentos
Liberando emoção
Que extasia
Corpos molhados suados
Esgotados
Amor derramando
Anunciando vivência de um momento intenso
De amor doação
O coração pulsa no compasso das caricias
Amo-te além deste instante
Amo-te além deste espaço contido no tempo
Por ser o que tu és
Simples assim
Nesta composição de amor
Que nos une
Nos lança
Para fora do nosso
Pequenino universo particular
É o amor reverberando

CONCEIÇÃO PEARCE

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

VÍNCULO

Mergulho no seu olhar
Fico a imaginar
Que profundidade terão seus pensamentos
A imensidão dos seus sonhos
A causa dos seus medos e temores
A capacidade de se derramar por um amor
Ou se comover com um simples carinho
Como fazer uma leitura real de você
Quando suas ações me confundem
Provei do mais leve toque
À textura da sua pele
O calor que dela emana
O sabor dos seus beijos
Olho a sua foto
Como companhia às lembranças
Dos breves carinhos
Que provei
Por um minuto tento
Compor essa linda pessoa
Que deixa saudades
Quando está ausente

CONCEIÇÃO PEARCE
RECRIAR

Quantos episódios
Prendem-nos a respiração
Susto diário e ininterrupto
Por que não transgredir
Sair da mesmice
Que nos sufoca e enclausura
Falsidade
Prazer por prazer
Urgência em tudo
Desamor
Descompromisso
Levar vantagem em tudo
A felicidade quando não é sinônimo de reinvenção
É assassinada
No engessamento diário do coração
Transgredir é se reencontrar
Como ser único
Capaz de acreditar em si mesmo
Por saber fazer a leitura
Do que vive por dentro
Transformando-se
Transforma o que está em torno
Como uma pequenina pedra lançada no imenso lago
Lança inúmeras ondas até onde os olhos
Não conseguem ver

CONCEIÇÃO PEARCE

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

CONCESSÃO

Manter uma postura de frieza
Ainda que a alma esteja ardendo por dentro
Por mais que doa
Existem momentos
Que a espontaneidade atrapalha
É necessário agir com cautela
Não é possível abrir o coração
Dizer o que sente
O amor também é feito de concessão
Pela diferença de sentir do outro
Embora não aprecie o tempo todo
Ceder e conviver
Pois o mais importante
É ser feliz
Que travar uma guerra fria
Ferindo-se
Desferindo golpes
Naquele que o coração tanto ama

Conceição Pearce


domingo, 1 de novembro de 2009


DEIXE-SE

Permita-se
Sinta nos cabelos o afago do vento
Na pele o arrepio da brisa fria
Ouça o coração
Não guarde nenhuma emoção
A vida é efêmera
Nessa corrida contra o tempo esquecemos
De nos alimentar da felicidade
Sem saborear o dia a dia
Caminhamos preocupados
Corremos loucamente
Conquistamos o sucesso
Mas no intimo
Carecemos de um simples abraço
Um amor estável
Durável e companheiro
Permita-se
Chore por amor
Mas nunca deixe de amar
Com medo de chorar
Faça a vida valer à pena


Conceição Pearce