Recent Posts

sábado, 25 de julho de 2009

ESSE AMOR

Que composição tem o nosso amor
Meu sentimento
Seu sentimento
Combinação química
Que flui de dois elementos
Cada um com seus reversos
De natureza única
Às vezes suave como uma pluma
Outra tão dura
Vazia
Seca
Qual a natureza real do nosso amor?
Que de tão ardente
Vira cinza, pó
Amor que se tinge
Com tantas expressões diferentes
Loucura
Paixão
Excitação
Faz minha vida tão intensa
Leva-me
Do arroubo à dor
Eu peno
Mas se não amo morro

Conceição Pearce


domingo, 19 de julho de 2009



RAZÃO E EMOÇÃO

O coração realiza escolhas
Que a razão desconhece
O coração navega na emoção
A razão com sua racionalidade
Busca outras opções
Razão e emoção
Estão num constante duelo
Dentro de mim
Deveria há muito
Ter te deixado de lado...
...Pelo tempo
...Pela dor
Pelos teus sentimentos em relação a mim
O coração não aceita racionalidade
Amo-te sem elucidação
Com desvario
Existirá razão para explicar essa emoção
Ou um pouco de razão nesta loucura?!

Conceição Pearce




sábado, 18 de julho de 2009

ABRAÇA-ME

Prende-me em teus braços
Num abraço sem fim
No teu calor
Vem aquecer-me
Quero perder-me em te
Como um rio
Que deságua no oceano
Por um momento
Ser eu dentro de você
Nos dias de desamparo
Estarei restabelecida
Com meu coração
Prenhe de te

Conceição Pearce


terça-feira, 7 de julho de 2009

AMOR INFINITO

Amo-te com amor de poeta
Com amor imperfeito
Por ser muito humano
Saturado dos meus defeitos
E qualidades
Amo-te
Na extensão do infinito
Além do que meus sentidos afoitar-se abranger
Na vida do meu ser
Com minha alma
Amo-te com esse amor inflexível
Que insiste
Em conservar meu coração no descompasso
Quando estou com você
Ou por apenas pensar
Emoção que não oscila
Afirma-se para eternidade

Conceição Pearce

sábado, 4 de julho de 2009

ESTADO DE PAIXÃO
Amar não custa tanto
Se houver compatibilidade
É só querer
E se entregar
Numa composição delirante
Existe algo mais deleitoso
Que dar e receber abraços
Quem não gosta de afagos sem fim
Onde tudo é esquecido
E enfronhar-se no paraíso
Quem não se desmancha suave
Como larva que escorre de um vulcão
Deixando tudo em brasa
Quem pode evitar esse estado de paixão
É ao mesmo tempo impetuoso e afável
Néctar da alma

Conceição Pearce

sexta-feira, 3 de julho de 2009

AMOR VERAZ

Olho para você e diviso
A dor que te rasgar a alma
Se permitido me fosse
Arrancaria esse tormento e cauterizaria
A dor com o verdadeiro amor
Deixando fluir novo sentimento
Pois o amor não é martírio
Nem permanente agonia
Se permitido me fosse
Conquistar-te-ia
Amando-te reconhecerias
O puro encanto do amor

Conceição Pearce


quarta-feira, 1 de julho de 2009


AUSÊNCIA

Você não está aqui
Com o coração te percebo
A distância impede-me de ter-te
Com a alma extasiada
Sou impregnada pelos nossos momentos
E o desejo de querer-te
Tudo tem sabor de saudade
A ausência que preenche todo espaço
O teu abraço
Vai reverberar em mim
Enquanto por você espero
O teu nome será saudade
Resta-me apenas tentar manifestar meu sentir
No poema que escrevo

Conceição Pearce