Recent Posts

sexta-feira, 25 de março de 2016





ADÁGIO

O vento do decorrer dos anos sopra no meu rosto
Deixando suas marcas,
Verdadeiros sulcos talhados pelas emoções vividas.
Mas nem uma delas é tão profunda quanto as que escavam o coração,
Espaço que ninguém pode ver.
Ricocheteia sempre ao passar dos anos, quando a brisa suave sopra sobre o corpo nu
Combalido nas emoções que o entalhara,
Revive na reflexão o que outrora suscitou a ulceração.

Conceição Pearce